• I FÓRUM DAS ESCOLAS TÉCNICAS DE ARTES

    Escolas Técnicas de Artes debatem regularização

    A proposta é congregar as artes e discutir suas especificidades
    Júlio César Andrade, prsidente do Condetuf, apresentando um panorama histórico das Escolas Técnicas

    Júlio César Andrade, prsidente do Condetuf, apresentando um panorama histórico das Escolas Técnicas

    Renata Menezes - estudante de Jornalismo

    Com a presença do presidente do Conselho dos Dirigentes de Escolas Técnicas vinculadas às Universidades Federais (Condetuf), Júlio César Andrade, além de gestores das Escolas Técnicas do Pará, de Minas Gerais e do Rio Grande do Norte, aconteceu em Maceió nos dias 24 e 25 de maio, o I Fórum das Escolas Técnicas de Artes.

    Os participantes elaboraram documento para ser enviado para a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), com o objetivo de regularizar a situação das Escolas Técnicas, com a equiparação aos Institutos Federais.

    Na cerimônia de abertura, realizada dia 24 de maio, foi apresentado um panorama histórico sobre as instituições representadas, com destaque sobre a Escola Técnica de Artes da Ufal (ETA). O diretor do Instituto de Ciências Humanas Comunicação e Artes, professor Enildo Marinho, representou o reitor Eurico Lôbo e falou sobre a necessidade da arte na formação dos indivíduos desde a infância. “O homem sem as artes perde a humanidade”, disse o diretor.

    A abertura contou ainda com o início da discussão proposta pelo diretor da Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), “As artes voltadas para o contexto da formação profissional”.Segundo Júlio César Andrade, o Fórum é de fundamental importância para que sejam tomadas novas diretrizes. Para Eduardo Xavier, diretor da Escola Técnica de Artes da Ufal e coordenador do evento, a realização do encontro é um ganho político, pela presença do presidente do Condetuf. “Nossa Escola ainda precisa de muitos avanços”, disse ele.