• ARRIETE VILELA NA ETA

    Arriete,
    a singeleza das palavras bordadas à lápis.

    “eu não sai da infância arrastando uma bagagem carregada de mágoas,
    eu preferi trazer comigo apenas um lápis e um papel.”

    A ETA foi agraciada com uma agradável poética noite na sexta-feira dia 14 de outubro. A palestra “A poesia nas entrelinhas da vida” conferida pela consagrada escritora Arriete Vilela, além de fornecer ensinamentos literários, como a diferença entre poema e poesia, encantou a todos pela simplicidade com que Arriete narrou um pouco de sua biografia, a cada poema, trechos de obras lidos, desvendava-se nas entrelinhas: sua história; sua infância vivida em Marechal Deodoro, primeira capital alagoana, sua cidade natal. O evento aconteceu como parte do processo de montagem do exercício cênico “Palavras não ditas... recortes poéticos de Arriete Vilela”. Coordenado pela profª. Carla Antonello e com colaboração interdisciplinar dos demais professores e técnicos da ETA, a turma de Iniciação Teatral 2011.2 subirá aos palcos no dia 26 de outubro para emocionar o público com a interpretação das premiadas poesias da alagoana ilustre que indagada por um de nossos alunos se ela usava a dor, a tristeza vivida na infância para escrever, ela, como em todo seu discurso, seja na palestra ou em diálogos informais, poetizou respondendo que: “eu não sai da infância arrastando uma bagagem carregada de mágoas, eu preferi trazer comigo apenas um lápis e um papel.” Ao fim da palestra, um empolgante bate-papo entre os professores presentes, os alunos e Arriete, que após perceber o interesse da turma, teceu elogios e disse ser presença confirmada na estréia da mesma. Distribuiu com todos os participantes livros e um kit de postais poéticos – fotografias de sua autoria trazendo no verso uma poesia associada à imagem. Agora é aguardar a apresentação que foi ainda mais embriagada de inspirações poéticas.

    Prof. David Farias