• MASTER CLASS COM GRUPO GIMBA (BA)


    PROJETO GIMBA ITINERANTE REALIZA TURNÊ PELO NORDESTE

    De 28 de outubro a 2 de novembro o GimBA - Grupo de Intérpretes Musicais da Bahia, cai na estrada e viaja por quatro estados do nordeste, para apresentar cinco recitais de música erudita e realizar master classes. As cidades visitadas pelo grupo são: Itabaiana (28/10), Aracaju (29/10), Maceió (30 e 31/10), Recife (31/10 e 01/11) e João Pessoa (01 e 02/11). Depois de passar por Aracaju, é a vez de Maceió receber o projeto, no dia 30 de outubro. As master classes acontecem no Espaço Cultural da UFAL - SETOR DE ARTES, das 15h às 17h, e o recital do GimBA às 18h, no Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas. O grupo ainda vai se apresentar em Recife e João Pessoa.

    Este projeto foi contemplado pela Fundação Nacional de Artes - Funarte - com o Prêmio Circuito Funarte de Música Clássica, e tem como objetivos divulgar o repertório camerístico não tradicional desenvolvido pelos professores da Universidade Federal da Bahia (UFBA), apresentar ao público outras vertentes da produção musical baiana e fazer um intercambio entre as Universidades Federais do Nordeste, através da circulação da música de concerto.

    O GIMBA foi criado em 2004 por cinco professores da Escola de Música da UFBA : Heinz Karl Schwebel (trompete), Pedro Robatto (clarineta), Lucas Robatto (flauta), Alexandre Casado (violino) e Susana Kato (violoncelo). Com essa formação, e com eventuais participações especiais de convidados, o GIMBA desenvolve um repertório raramente executado, oferecendo ao público a oportunidade de ouvir ao vivo obras inéditas ou pouco conhecidas da produção erudita contemporânea da Bahia. Desde 2009 o GIMBA desenvolve uma parceria com o grupo de compositores da UFBA, promovendo cursos e recitais, proporcionando aos compositores a oportunidade de ter suas obras executadas com qualidade, além de revelar novos talentos da composição erudita baiana. Esta turnê tem a participação do violinista Samuel Dias, no lugar do músico Alexandre Casado. O repertório dos concertos conta com composições de músicos baianos ou residentes na Bahia como Wellington Gomes (BA): “Matizes Circulares” e Acordes de Ébano”; Marcos di Silva (BA): Fuxico; Dimitri Cervo (RS): Gimbado; Ricardo Tacuchian (RJ) : Natureza Morta; Paulo Lima (BA): ;Eric Ewazen (USA): Mandala; Claudio Luz (BA) “Tresvariações”. Quatro peças deste repertório foram compostas especialmente para o projeto GIMBA Itinerante.


    SERVIÇO
    EVENTO: Concerto e Master Classes
    Grupo: Grupo de Intérpretes Musicais da Bahia – GimBA
    1) Master class (violino, violoncelo, flauta, clarinete e trompete)

    Vagas limitadas para alunos executantes:

    Violino - 05 executantes, 20 ouvintes
    Violoncelo - 05 executantes, 20 ouvintes
    Flauta Transversal - 06 executantes, 20 ouvintes
    Clarinete - 06 executantes, 20 ouvintes
    Trompete - 10 executantes, 20 ouvintes

    LOCAL: Espaço Cultural da UFAL - SETOR DE ARTES


    DATA: Dia 30 de outubro (Sábado)
    HORÁRIO: 15h às 17h

    2) Concerto
    Local: Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas

    DATA: Dia 30 de outubro (Sábado)
    HORÁRIO: 18h

    Assessoria de Imprensa:
    Maira Cristina

    Realização: Lilás Produções Culturais
    Contatos: Eneida Rebouças - (71) 9151-3823/ 3283-7898



    GIMBA - GRUPO DE INTÉRPRETES MUSICAIS DA BAHIA
    Criado em 2004 pelos professores da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, este grupo tem como principal objetivo promover concertos de música de câmara, através de apresentações que primam pelo alto nível de execução, possibilitado pela excelente formação acadêmica e experiência internacional dos seus integrantes. Aproveitando a diversidade de timbres proporcionada pela combinação de seus componentes - flauta, clarinete, violino, violoncelo, trompete – e eventuais convidados, o GIMBA desenvolve um repertório que é raramente executado, oferecendo ao seu público, a oportunidade de ouvir ao vivo obras inéditas e pouco conhecidas.

    HEINZ KARL SCHWEBEL
    Heinz Karl Schwebel iniciou seus estudos de trompete aos nove anos de idade com seu pai, o Prof. Horst Schwebel, com quem se formou no curso de Instrumento da UFBA no ano de 1993. Em 1990 teve aulas com os Profs. Adolf Weresch e Reinhold Friedrich na Hochschule für Musik em Karlsruhe, Alemanha. Em 1994, como bolsista da CAPES e da Fundação VITAE, realizou o curso de Mestrado no New England Conservatory of Music em Boston, Estados Unidos sob a orientação do Prof. Charles Schlueter e foi vencedor do “Concerto Competition” e do “Honors Brass Competition”. Em 1997 recebeu a “Menção Honrosa” do concurso Rádio MEC no Rio de Janeiro. Em 2000 obteve o título de Doctor of Musical Arts como bolsista da CAPES, outra vez sob a orientação do Prof. Charles Schlueter. Trompetista principal da Orquestra Sinfônica da Bahia, leciona nos cursos de Graduação e de Pós-Graduação da Escola de Música da UFBA, tendo atuado como solista e/ou professor convidado em diversos festivais de música por todo Brasil. Vencedor do Prêmio Braskem de Cultura e Arte, 2003.

    LUCAS ROBATTO
    Doutor em flauta pela Universidade de Washington (EUA), com graduação e mestrado na Escola Estatal Superior de Música de Karlsruhe (Alemanha). Professor Adjunto da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia e Flautista Principal da Orquestra Sinfônica da Bahia. Exerce atividades de solista e camerista, além participar como docente em diversos festivais de música por todo Brasil. Vencedor do Prêmio Braskem de Cultura e Arte, 2002.

    PEDRO ROBATTO
    Clarinetista, natural de Salvador-Ba-Brasil, 38 anos, formou-se no curso de Bacharelado com o professor Klaus Haefele na Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, e na mesma instituição, concluiu Mestrado e Doutorado em Execução Musical. Em 1998 estudou com os professores Earl Thomas e Patrícia Kostek na Universidade de Victoria no Canadá, como bolsista do Ministério da Cultura, e em 1988 como aluno convidado na Escola Estatal de Música de Karlsruhe na Alemanha, com o professor Wolfgang Meyer. Desde 1989 é Clarinetista Principal da Orquestra Sinfônica da Bahia e desde 1992 é Professor de Clarinete e Música de Câmara da Universidade Federal da Bahia no curso de Bacharelado e Pós-graduação. Participou como Professor de clarineta do 27º Curso Internacional de Verão de Brasília (2005); Professor Convidado no III Festival de Inverno Unisinos (2004) - Rio Grande do Sul e como Professor Assistente (Teacher Assistent) na Universidade de Victoria (1999) – Canadá. Vencedor do Prêmio Braskem de Cultura e Arte, 2002.

    ALEXANDRE CASADO
    Pernambucano de Recife, iniciou seus estudos musicais aos seis anos e o violino aos nove. Aos dezoito anos foi aceito na classe do Maestro Corrado Romano, no Conservatório Superior de Música de Genebra, Suíça, onde se graduou em tempo mínimo e obteve em 1996 o Prêmio de Virtuosidade. Na Itália, após a conclusão do conservatório na Suíça, estudou com Pavel Vernikov. Atuou com vários músicos de renome como Aurèle Nicolet, J. Starker, D. Grosgurin entre outros. Como solista foi regido pelos maestros E. Egan, Helena Herrera, Arlindo Teixeira, Osvaldo Colarusso, Osvaldo D'Amore, Osman Gioia, Marc Kissocs entre outros. No Brasil, foi professor da Universidade Federal do RN e atualmente é Professor Doutor da Universidade Federal da Bahia e "Spalla" da Orquestra Sinfônica da Bahia.

    SUZANA KATO
    Iniciou seus estudos violoncelo em São Paulo onde foi aluna dos Professores Watson Clis e Ricardo Fukuda. Em 1992 obteve seu diploma de Bacharelado em Instrumento pela Faculdade Santa Marcelina. Foi integrante da Orquestra Experimental de Repertório e também da Camerata Fukuda. Bolsista da Capes, obteve em 1995 seu título de Mestre em Artes pela City University of New York- Queens College, sob a orientação de David Geber e Barbara Mellow . Em 2003 recebeu uma bolsa da Fundação VITAE para um curso de especialização do repertório violoncelístico com o Professor Robert Suetholz (ECA-USP), em São Paulo. É professora de violoncelo da Universidade Federal da Bahia, violoncelista Principal da Orquestra Sinfônica da Bahia e Doutoranda pela UFBA.

    SAMUEL DIAS
    Nascido em São Paulo, começou seus estudos de violino aos 12 anos de idade. Estudou com Leandro Dias, Cláudio Micheletti, Igor Sarudianski, tocou na Orquestras Sinfônica de Santo André e experimental de repertório, em 2010 concluiu a academia OSESP sob orientação de Emanuele Baldini e música de câmara com Johannes Gramsch. Realizou solos com a Orquestra Jovem de Guarulhos e Sinfônica da Bahia. Atualmente é spalla da Orquestra Sinfonica da Bahia.


    CRONOGRAMA GERAL


    Itabaiana
    28/10
    10h às 12h – workshop Instituto de Música João de Mattos – Anexo do Colégio Estadual Murilo Braga

    20h – Concerto Auditório Prof. Alberto Carvalho – Campus UFS Itabaiana
    Aracaju
    29/10
    10h as 12h – workshop Universidade Federal de Sergipe - Campus São Cristóvão

    20h – Concerto Biblioteca Epifânio Dórea

    Maceió
    30/10
    15h às 17h – workshop Espaço Cultural da UFAL - SETOR DE ARTES
    18h – Concerto Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas

    Recife
    31/10
    20h – Concerto Teatro Joaquim Cardoso

    01/11
    10h – workshop Escola de Música UFPE

    João Pessoa
    01/11
    18 h – Concerto Auditório Prof. Milton Paiva - Edifício da Reitoria da UFPB - Cidade Universitária

    02/10
    9h às 11h – Workshops Departamento de Música da UFPB - Cidade Universitária

    O projeto GimBa Itinerante foi contemplado com o Prêmio Circuito Funarte de Música Clássica, com a proposta de realizar concertos e promover master classes de para profissionais e estudantes de música, gratuitamente.
    Em Maceió, o recital do grupo, será realizado no Instituto Histórico e Geográfico, no dia 30/10, às 18, e a tarde das 15- o GimBa realizará master classes no Espaço Cultural contemplando os seguintes instrumentos

    Samuel Dias - Violino - 10 executantes, 20 ouvintes
    Suzana Kato - Violoncelo - 04 executantes, 20 ouvintes
    Lucas Robatto - Flauta - 10 executantes, 20 ouvintes
    Pedro Robatto - Clarinete - 10 executantes, 20 ouvintes
    Heinz K Schwebel - Trompete - 10 executantes, 20 ouvintes